quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Amém Silvio Barros! Rejeitada eleição direta nas escolas em Maringá.

Wil Scaliante
Blog do Rigon
Pela segunda vez, a maioria dos vereadores da Câmara Municipal de Maringá - a chamada Turma do Amém ou Turma do Sim Senhor - rejeitou projeto que instituía a eleição direta nas escolas e CMEIs da cidade. Por uma brecha no Regimento Interno, o projeto foi reapresentado pelo vereador Humberto Henrique (PT) e foi rejeitado com 10 votos.
Em compensação, para manter a risca de que nem tudo é divulgado e discutido antes de ser votado, nada menos que oito projetos entraram em regime de urgência; metade foi enviada pelo prefeito Silvio Barros II (PP). Um deles altera áreas de três quadras do Loteamento Sumaré, que passa de ZR-2 para ZR-3. Estranho, pois o loteamento foi recentemente aprovado pela própria prefeitura e as vendas das datas estavam sendo feitas há tempos.

PS - A respeito da votação, a assessoria de HH informou que, além dele, votaram favoravelmente os vereadores Mário Verri (PT) e Marly Martin (DEM), que concordam com a orientação do ministro da Educação, Fernando Haddad, de que a escolha da direção das escolas precisa ser democrática e incluir a capacitação dos profissionais escolhidos pela
comunidade escolar. "Com esta decisão, a prefeitura prorroga uma política implantada em 2006,
contrariando uma tendência nacional, o interesse da comunidade escolar e favorecendo a indicação da direção nas escolas por intermédio de políticos, como acontece na maioria das cidades onde o mesmo procedimento vigente em Maringá é implantado".

Um comentário:

Anônimo disse...

Nos outros,que de uma maneira ou de outra divergimos das idéias e atitudes dessa córja direitista,que nega o interesse geral em favor do interesse particula,devemos e precisamos nos unir para acabar com essa quadrilia capitalista.
Depois de uma aventura galante que,segundo parace,ocorreu alguns dias depois da criação do mundo,o homem foi condenado por Deus a ganhar o pão com o suor de seu rosto.Hoje que Deus esta em véspera de morrer sem posteridade,sem numca ter podido assegurar a execução de seu mandamento,o socialismo propõen-se a compelir á observância
da sentença divina os que,desde hà muito tempo,ganham o pão e mais do que o pão,com o suor do rosto dos outros.
Fim de linha para eles,nem que seja preciso eliminalos,afinal,depois da morte de alguns porcos,só pode haver um bom banquete.