quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Por um Brasil que continue avançando na Comunicação

Wil Scaliante
Um governo democrático por essência é aquele que abre as portas para o debate no país. Aquele que ousa ouvir todos os lados para nortear suas decisões. O governo do Lula e da Dilma é assim.
Um tema que sempre gerou polêmica no Brasil foi a comunicação: o sensacionalismo, o uso dos veículos para propaganda pessoal e não comprometimento com a informação de qualidade. Pela primeira vez na história desse país, um governo chamou uma Conferência de Nacional de Comunicação, com objetivo de trabalhar o tema e qualificar cada vez mais o que se lê nos jornais, se vê na TV ou se escuta no rádio.
O PNDH III (Programa Nacional de Direitos Humanos) propõe a criação de um marco regulatório para a comunicação no Brasil. Ao contrário de muitas falácias, esse programa nunca propôs a censura. Que sentido faria um programa que propõe a censura ser apoiado pela FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas)? Nenhum. Os jornalistas entendem a necessidade de se analisar e tratar com responsabilidade a informação no Brasil. Não se pode sair por aí falando ou escrevendo besteiras e alegar liberdade de imprensa. A Conferência Nacional de Comunicação foi um exemplo. Dilma e Lula mostraram que os temas polêmicos devem ser tratados abrindo a oportunidade para que todos os lados esbocem sua opinião.
Outro tema importante é a tal da democratização da informação. Outra vez Lula e Dilma deram o exemplo de como fazer isso. O governo federal abriu financiamento para se comprar computador. A inclusão digital começou a ser feita. Agora o pobre, o jovem, o estudante e o trabalhador também podem ter um PC em casa. O programa “Computador Para Todos” fez o preço dos micros caíram em mais de 10% no Brasil, além de parcelar até em 24 vezes o computador oferecido pelo governo com o preço reduzido de 1400 reais, uma grande conquista tendo em vista o valor dos micros no ano de 2006.  O próximo passo, com Dilma, é levar a Internet Banda Larga Gratuita a casa dos brasileiros.
Acesso e qualificação da informação, o par feito para que o Brasil continue avançando na comunicação. Isso é compromisso de Dilma. Isso é compromisso com a emancipação do povo brasileiro. Por isso nós jornalistas, nós internautas e leitores de jornais, queremos sim, Dilma presidente.


Nenhum comentário: