terça-feira, 15 de maio de 2012

PT e PDT: um projeto para governar Curitiba

O desafio petista para as eleições de 2012 em Curitiba está só começando. Após extenso debate entre a militância do Partido, adotou-se a tese de coligação com o PDT para esta disputa eleitoral. Este fato consumado resulta na grande chance dos curitibanos conhecerem de perto o modo petista de governar.
Uma nova Curitiba urge. Para isso será necessário enfrentar um grupo político que há décadas administra a cidade revezando nomes, mas sempre mantendo a mesma forma de pensar, governar e privilegiando os mesmos interesses.
Lerner, Taniguchi, Richa, Derosso, Ducci, são peças inseparáveis deste quebra-cabeça e deste pensamento único que no Paraná vendeu o Banestado, tentou privatizar a Copel e em Curitiba mantém caixas-pretas como a Urbs, o Instituto Curitiba de Informática e os radares, no já famoso contrato com a Consilux. Não podemos deixar de lembrar dos escândalos envolvendo o então presidente da Câmara de Vereadores e protagonista do PSDB de Curitiba, João Cláudio Derosso, de quem este grupo agora tenta desvincular sua imagem.
Mas, agora, temos a oportunidade de juntos com PDT, partido de histórico trabalhista, implantarmos um projeto de administração nunca visto por Curitiba, casando o desenvolvimento econômico do município com o desenvolvimento social. Mais do que isso: alinhar o discurso com o governo federal e aproveitar as oportunidades de crescimento que o Brasil apresenta.
Poderão dizer que Gustavo Fruet, nosso candidato a prefeito, foi protagonista de embates políticos contra o Governo Federal na administração do PT. Ora, quantos embates tivemos com o PL de José Alencar antes de iniciarmos nossa parceria? Esta união resultou no maior processo de desenvolvimento econômico e social que o Brasil já viu com os dois governos do presidente Lula e que tem sua continuidade com a presidenta Dilma.
A família Fruet tem um histórico de contribuições com a nossa capital, além do Gustavo vereador e deputado federal , a irmã Eleonora já foi secretária e o pai Maurício foi prefeito na década de 80, todos sempre com visão progressista para a política paranaense.
Nós, petistas, sempre fomos protagonistas dos processos políticos no Brasil. Seja no confronto de ideias, no combate à corrupção ou na construção de um dia-a-dia melhor para cada um dos trabalhadores e trabalhadoras de nossa terra.
Também nos diferenciamos pela nossa democracia interna, fundamental para que o PT seja o que é, nos permitindo ter um avançado nível de elaboração de discussões e projetos de governo. Mas, vencido esse debate precisamos de todas as tendências do partido unidas, debatendo e avançando no projeto dos próximos quatro anos de nossa capital paranaense.
Lembremos que já ouvimos que seria impossível eleger um operário ou uma mulher presidente, que era impossível ter uma grande frente partidária em torno de um projeto de esquerda e que era impossível uma figura política trocar de lado e rever seus posicionamentos. Vamos ouvir muitas vezes sobre situações impossíveis durante este processo eleitoral. Contudo, novamente vamos provar que é possível governar Curitiba com uma aliança em torno do projeto petista.
Projeto que começa em nossa capital como uma semeadura. Vamos iniciar nossa plantação para que a colheita seja profícua nos próximos anos, não apenas em nossa capital, mas no Paraná e também no Brasil. O que estamos plantando é uma aliança para governar Curitiba com a sensibilidade e a eficácia que o PT vem mostrando ter de forma incontestável, afinal os números de desenvolvimento, o crescimento de nossa economia e a importância no cenário internacional não nos deixam mentir.
Agora chegou a vez de Curitiba. A nossa vez.
Roni Barbosa é presidente da CUT Paraná e membro do diretório municipal do PT Curitiba

sábado, 12 de maio de 2012

Menina maringaense está a seis anos esperando exame

A realidade é dura, há seis anos, uma mulher espera um eletrograma para a filha. A informação foi divulgada pelo site do deputado Enio Verri, que prestava contas de seu mandato aos moradores da Vila Marombi.
O deputado lembrou que o governo Lula e Dilma tem melhorado a vida das pessoas, e para ele Maringá tem que seguir o exemplo federal e melhorar a condição da população, como acabar com as filas na saúde.A saúde pública e o exame de eletrograma, são responsabilidades da Prefeitura de Maringá, que é ineficiente na gerencia do Hospital Municipal, que realiza esses exames pelo SUS.
“No Governo do José Cláudio (PT) as consultas especializadas demoravam no máximo dois meses”, lembrou Verri. O deputado estadual criticou a atenção que o município dá para as obras, esquecendo de melhorar as condições básicas da população, como segurança e saúde.
Verri defende que o munícipio compre mais consultas especializadas, contrate mais médicos, que a gestão na saúde seja feita por profissionais da área – algumas chefias não são coordenadas por especialistas – que os servidores públicos ganhem mais.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

PP ameaça diretores de escolas a participar de convenção


De acordo com o blog de Angelo Rigon, o Partido Progressista, do atual prefeito interino Carlos Roberto Pupin, usou a Secretaria Municipal de Educação para convocar os diretores de escolas municipais para participar de sua convenção partidária. No evento foi deliberado que Pupin, será o candidato do partido no próximo pleito eleitoral.
De acordo com blog, houve uma reunião na Secretaria de Educação com todos os diretores municipais, lá eles teriam sido informados que "ou apareceriam no lançamento da candidatura do
Pupin ou corriam o risco de perder o cargo."
Atualmente os diretores são CCs, ou seja, são nomeados pela Prefeitura. Enquanto esse sistema não for rompido, esse tipo de atitude será usado pela inescrúpula política maringaense. Precisamos de um novo modo de governar em Maringá, onde os gestores das escolas municipais sejam eleitos pela comunidade e não indicados.

PT projeta candidatura de Enio Verri como prioritária no Paraná

Por: Wil Scaliante

O deputado estadual e presidente do Partido dos Trabalhadores do Paraná, Enio Verri, confirmou sua pré-candidatura a prefeito em Maringá. As reais possibilidades de eleição e a afinidade com o projeto petista de governar fazem de Verri umas das candidaturas prioritárias do PT nas eleições deste ano.
Enio é referencia no partido, seu ótimo trabalho quando esteve à frente da Secretaria Estadual de Planejamento no governo Requião, lhe rendeu um grande reconhecimento no estado. Verri foi o deputado estadual mais votado do PT e o terceiro mais votado do Paraná.
Nas eleições de 2008, o petista disputou a prefeitura e surpreendeu durante a campanha. No inicio do pleito Enio aparecia com cerca de 4% das intenções de votos nas pesquisas. Ao apresentar seu projeto de gestão, a candidatura começou a ganhar força, sendo o segundo mais votado e ultrapassando a casa dos 20% dos votos.
Verri deve retomar parte dos projetos da gestão do petista José Cláudio, visando transformar o município de Maringá, gerindo políticas publicas para todas as classes e regiões da cidade. Avançar em projetos sociais, de segurança e com uma consciência na politica educacional são prioridades do petista.